Não deixe a crise abalar o relacionamento


Fonte: veja.abril.com.br




Confinados e estressados, os casais têm brigado mais no país. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, conflitos conjugais aumentaram 451% após o início das medidas de isolamento social contra a Covid-19.


“A pandemia é, de modo geral, um fator estressante, que ativa ansiedades e amplifica nossas dificuldades ou necessidades”, analisa Ana Canosa, psicóloga e educadora sexual de São Paulo. Em relações que já não iam bem, a quarentena pode ser fatal à convivência e aumentar problemas antes ocultos para os parceiros.


E tanto o excesso como a falta de contato com o outro influenciam essa dinâmica. “Casais que se veem menos podem ter dificuldades afetivas, eróticas e sexuais que antes não perturbavam. Elas aparecem com o confinamento e as pessoas sentem que precisam resolver aquilo”, nota Eduardo Carrion, psiquiatra e terapeuta sexual de Porto Alegre.


Somados à insegurança com a saúde e as finanças, trabalho remoto e filhos em casa 24 horas também podem arranhar o relacionamento. A boa notícia: há conselhos para que as coisas não desandem. Pelo contrário!


Amor nos tempos do coronavírus


Especialistas dão alguns conselhos para melhorar a convivência ao longo da crise e o relacionamento não sair abatido:


Sempre juntos

O casal deve encarar a pandemia como um desafio em comum. Dividir tarefas, combinar limites e definir regras ajuda a firmar esse compromisso. “E corta a angústia porque se vê o outro alinhado com você”, diz Ana.


Não confunda

O isolamento pode despertar gatilhos que já causavam ansiedades. Evite culpar os outros por questões particulares suas. É importante saber separar o que é seu e o que é da relação — e pedir ajuda se necessário.


Pratique gentileza

“Ela faz toda a diferença em um lar numa situação estressante”, afirma Ana. Lidar com tranquilidade e educação reforça laços de confiança, cuidado e segurança. Sempre dê “bom dia” e pergunte se está tudo bem.


Crianças a favor

Nas famílias confinadas com os filhos, dá pra bolar jogos com todo mundo e repartir as tarefas domésticas. Mas é importante fazê-los entender os horários de trabalho dos pais e que o casal deve ter um momento só para si.


Rituais de passagem

O trabalho em home office faz muita gente perder a noção da rotina — e o contato com os outros. Monte uma agenda em que haja espaço para refeições à mesa e períodos de relaxamento e confraternização.


Não brigue. Negocie

Discordâncias devem ser resolvidas com respeito mútuo e peito aberto. “É trágico partir do princípio de que só eu tenho razão e o outro precisa se submeter ao meu ponto de vista”, analisa Carrion. Ouça e converse.


Sexo sem cobrança

Ele é ingrediente de qualquer relação saudável, mas tem que rolar de maneira natural e harmônica (a criatividade também é bem-vinda). “Usar o sexo para descarregar a ansiedade pode complicar a convivência”, alerta Ana.


Relação à distância?


Com acesso à internet, ninguém está sozinho. Usar apps de relacionamento e trocar áudios, mensagens e vídeos são meios cada vez mais utilizados para manter a vida afetiva e sexual. Pelo mundo, algumas entidades de saúde já recomendam masturbação e sexo virtual para combater a solidão e proteger-se da Covid-19. Em Nova York, foco da epidemia americana, o slogan da campanha para os solteiros é “Você é o seu parceiro sexual mais seguro”.



Fonte: veja.abril.com.br

PROCURE SEMPRE UM ESPECIALISTA DA SAÚDE E BEM-ESTAR DO CASAL

7 visualizações