Coronavírus pode ser transmitido pela relação sexual? Descubra!


Fonte: fortissima.com.br



O coronavírus tem mudado completamente o dia a dia das pessoas, que estão mantendo isolamento em casa sem ter contato físico com outros. Um dos aspectos dessa mudança é o distanciamento entre casais que – se não moram juntos – precisam passar um tempo longe para diminuir os riscos de contaminação. Mas será que o coronavírus pode ser transmitido pela relação sexual?


Conversamos com o Dr. Alex Meller, urologista da Unifesp e do Hospital Israelita Albert Einstein, que aconselha algumas medidas de prevenção e conta se há perigo de contágio através do sexo. Leia o papo:


Fortíssima: É indicado manter um relacionamento à distância na quarentena?

Dr. Alex Meller: Vamos pensar em um casal que mora junto e não está com suspeitas de contaminação pelo coronavírus. O primeiro passo é seguir as orientações de isolamento dentro de casa e as demais medidas pedidas pelo Ministério da Saúde mas, ainda assim, é preciso manter uma distância do parceiro. Se você está com suspeitas ou sintomas é preciso usar máscara o tempo todo e deve ter seus próprios objetos separados, como toalha, escova de dentes, copo, talheres e prato. Quanto aos objetos comuns, como maçaneta, controle remoto e smartphone, devem ser higienizados com bastante frequência. Não tem uma quantidade exata, mas o recomendado é passar álcool com porcentagem entre 60 e 70%.


Por que é preciso evitar beijos, abraços e aperto de mão?

É preciso evitar abraços, beijos e aperto de mão porque já foi identificado que a principal forma de transmissão do vírus é através das gotículas que eliminamos ao falar, espirrar e tossir, então qualquer secreção que venha da boca deve ser evitada, por isso que a pessoa com sintomas deve usar máscara o tempo todo. E o contágio através do contato de mão acontece porque, sem perceber, você pode acaba colocando a mão no rosto e passando essa secreção para outra pessoa por contato das mãos. Estudos mostraram que foi identificado o vírus na urina, nas fezes e em lágrimas, além das gotículas da boca (chamadas de perdigoto), você corre o risco de transmiti-lo por outras vias e, por essas razões, o contato com secreção deve ser totalmente evitado.


Quais são os sintomas físicos que indicam que o casal deve se distanciar?

Os sintomas, como já está amplamente divulgado, são tosse, sendo um dos sinais mais alarmantes. Se você estiver tossindo, pode suspeitar que está contaminado pelo vírus. O segundo sintoma mais comum é a febre, que acontece na maioria dos casos. E o pior deles é a falta de ar, mas a pessoa também pode ser acometida por fraqueza e dor muscular.


Na relação sexual, como pode ser o contágio do vírus?

Em um estudo chinês, ligado diretamente à área sexual, foi identificado o vírus em secreções vaginas em mulheres, por isso,  o sexo oral em mulheres é fonte de contaminação do vírus. Agora ainda não está comprovado a transmissão via sexo, como acontece no HIV, pelo contato com as secreções das genitálias. Resumindo: sexo oral na mulher pode ter transmissibilidade para ela e seu parceiro, já que foi detectado vírus nas secreções vaginas, mas não pelo contato com secreções do pênis.


Receber pessoas em casa para sexo casual aumenta o risco de contaminação?

Claro, pode haver o risco de contaminação, já que a pessoa que entra na sua casa está vindo de outra comunidade, de outro cenário, tem contato com outras pessoas da própria família e do convívio e, sim, pode trazer o vírus para o seu ambiente. O ideal é ficar afastado para não correr o risco, tanto para evitar transmissão para o seu parceiro e vice-versa. Se o casal já mora junto, deve tomar os cuidados típicos e ter uma rotina de higiene, além de separar seus objetos para uso pessoal e usar máscara o tempo todo.


O vírus pode ser transmitido através do sexo anal?

Ainda não está comprovado que o vírus pode ser transmitido pelo sexo anal, apenas foi confirmado que ele está presente nas fezes, mas o sexo em si não mostra riscos de contaminação via mucosas do pênis. O indicado é usar preservativo para manter o corpo protegido e evitar outras doenças.


Quais conselhos dar para casais que estão há semanas separados?

A dica é manter contato com seu parceiro via WhatsApp, via Facetime ou vídeos e imagens por smartphone. Aproveite esse momento para criar brincadeiras sexuais com a ajuda da tecnologia, mas realmente é preciso evitar o máximo contato nesse período de quarentena, que é de 14 dias até o aparecimento – ou não – dos sintomas, é importante dizer isso. Portanto, se ficou 14 dias em isolamento e não apresentou nenhum sintoma, você pode voltar a ter contato com o parceiro.




Fonte: fortissima.com.br

PROBLEMAS NO RELACIONAMENTO?

PROCURE SEMPRE UM ESPECIALISTA DA SAÚDE E BEM-ESTAR DO CASAL


Confira nosso Podcast:



0 visualização