"4 perguntas simples que podem evitar brigas no casamento"

Fonte: semprefamilia.com.br


Um dos maiores desafios do casamento é aprender a lidar e a ter paciência com aqueles hábitos e costumes do outro que nos irritam profundamente. Deixar a toalha molhada em cima da cama, apertar o tubo do creme dental bem no meio, não repor a água na forma de gelo e tantas outras manias que deixariam essa lista enorme. São coisas pequenas? São. Mas são justamente elas as maiores causadoras de aborrecimentos entre o casal. A boa notícia é que há uma estratégia que pode ajudar você a enxergar esses hábitos de uma maneira que não atrapalhe a sua paz e, consequentemente, mantenha a harmonia dentro de casa. Não se trata de nenhum passe mágica, mas apenas de uma nova perspectiva.  


Em uma publicação no site iMOM, a escritora norte-americana Nancy Jergins revelou algumas perguntas simples que as esposas ou os maridos podem fazer para si mesmos naqueles momentos de irritação com o outro. Essas perguntas rápidas podem evitar discussões desnecessárias e se tornarem verdadeiras aliadas na busca pela felicidade no casamento:


1. Esse é um problema apenas de hábitos ou de relacionamento? Pode ser que alguns hábitos de seu marido ou de sua esposa te deixem realmente irritado. Mas quando você se deparar com algum deles, faça o exercício de respirar fundo e “dar um passo atrás” para ter uma perspectiva mais clara sobre o que está acontecendo. Esse é um problema apenas de hábitos que incomodam você ou é um problema de relacionamento? Com certeza seu cônjuge pode se esforçar para tentar ser mais organizado ou mais atento, mas não esqueça de pensar nas outras qualidades que ele tem e que fazem bem ao relacionamento de vocês.


2. Estou realmente com raiva ou apenas cansado? O cansaço e o estresse nos deixam menos pacientes, menos gentis e menos compassivos. Então, antes de “explodir” com seu cônjuge, considere seu estado físico e mental. Boa parte das brigas em um casamento seriam evitadas se o casal deixasse para conversar em um momento mais propício, em que os dois estivessem bem. Se mesmo depois de descansar você ainda estiver chateado, chame seu parceiro para conversar e fale sobre como aquela atitude faz você se sentir.

3. Eu lhe dei uma chance de explicar aquela atitude? No cotidiano da vida conjugal, é muito fácil se deixar levar por um padrão de interpretação negativa, vendo sempre o lado ruim das coisas e assumindo o “pior” do outro em todas as suas palavras e ações. Se você está chateado com seu cônjuge, pergunte a você mesmo se realmente acredita que aquela atitude foi intencional ou se você não está se precipitando na interpretação. Seja sincero e também pergunte ao seu parceiro: “Aquilo que você fez me magoou, eu entendi de maneira errada?”.


4. O que é realmente importante aqui? Você já deve ter ouvido aquela frase “é melhor ser feliz do que ter razão”. Existem algumas situações no casamento que, vez ou outra, precisam ser ignoradas para que o casamento siga em frente. Então, diante de uma irritação qualquer do dia a dia, se pergunte: eu realmente tenho que estar certo nisso ou posso deixar para lá?



Fonte: semprefamilia.com.br


PROCURE SEMPRE UM ESPECIALISTA DA SAÚDE E BEM-ESTAR DO CASAL

58 visualizações